BLUE GREY RED
YOU ARE HERE Home Notícias Cidades Gerais Festa do Peão de Barretos recolhe 5,5 toneladas de lixo reciclável no primeiro fim de semana

Festa do Peão de Barretos recolhe 5,5 toneladas de lixo reciclável no primeiro fim de semana

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

peao

Coletores recolheram 5,5 toneladas de lixo reciclável no Parque do Peão, em Barretos, durante o primeiro fim de semana da Festa do Peão, de quinta-feira (15) a domingo (18), segundo balanço informado pela equipe responsável.

Do total, quatro toneladas são de alumínio – só no sábado (17), noite dos embaixadores da festa e de maior público até agora, foram produzidas 2,5 toneladas do material.

De acordo com a bióloga Milena Carvalho, responsável pela tenda do meio ambiente, 50 coletores atuam no parque. O trabalho envolve a preocupação com a sustentabilidade. Com a produção de lixo por um público visitante estimado em um milhão de pessoas, o objetivo é reduzir o impacto na natureza.

Em 2018, durante os 11 dias de festa, 17 toneladas de resíduos recicláveis foram coletados no recinto. Uma empresa terceirizada faz a compra do material e o revende às recicladoras. No próprio Parque do Peão, tudo é pesado, limpo e prensado para ser transportado.

“O nosso objetivo é preservar o meio ambiente. Deixar de enviar esse material para o aterro sanitário, para reduzir a entrada de rejeitos. Desde o ano passado, essa empresa faz a triagem do lixo também. O material é triado porque ainda aparece muita coisa que é reciclável”, afirma Milena.

Os catadores são selecionados em um processo seletivo feito pela ONG Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Social (ICDH), que apoia o trabalho fornecendo luvas, uniformes e alimentação. A estratégia desenvolvida para reduzir os danos ao meio ambiente é também uma forma de gerar renda.

O grupo recolhe papelão, embalagens PET, alumínio e plástico deixados na arena e nas ruas da feira comercial, onde estão outros palcos e barracas de alimentos e bebidas.

A cada entrega de materiais, os coletores recebem um recibo de pesagem. O valor pago depende da quantidade de lixo recolhido, já que eles recebem de acordo com o peso.

“Se o coletor trabalhar bem, ele tira uma boa renda, porque ele ganha no peso, não é uma diária. O ano passado nós tivemos uma coletora que recolheu aproximadamente uma tonelada, o que rendeu mais ou menos R$ 1,8 mil de salário”, diz Milena. (G1)

Comente:

Compartilhe:

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias

Novos Vídeos