BLUE GREY RED
YOU ARE HERE Home Notícias Cidades Gerais Ação Popular quer impedir obra em área de preservação em Piracicaba

Ação Popular quer impedir obra em área de preservação em Piracicaba

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

pira

Os moradores do bairro Água Branca, em Piracicaba (SP), protocolaram uma ação popular na Justiça para denunciar uma obra localizada em uma Área de Preservação Permanente (APP). A ação contra a Prefeitura pede a anulação da terraplanagem e sugere que haja uma imposição para medidas de recuperação do local.
Em nota, a Prefeitura negou que tenha uma nascente no local, já que não consta no mapeamento do Instituto Geográfico e Cartográfico (IGC), onde identificam qualquer recurso hídrico, e disse que a obra tem autorização da Secretaria Municipal de Obras (Semob).


O engenheiro civil e proprietário da construtora Construcione, José Cione Filho, também afirmou que na área não existe nascente, o que, segundo ele, foi comprovado por dois laudos técnicos e alvará da Prefeitura para a execução da terraplanagem.

“Temos o documento do Instituto Geográfico e Cartográfico (IGC), onde não consta nenhuma nascente”, disse. Para ele, a maioria das pessoas aprovou a iniciativa. "Foram eliminados os focos de dengue e entulhos que eram jogados no local", alegou Cione.

Não foi o caso do aposentado Vicente Souza Duarte, de 60 anos, que mora no bairro há 20 anos e se entristeceu com a construção no local. Segundo ele, a obra está acelerada e as máquinas realizam a terraplanagem até durante a madrugada. “Falta água para a população e já temos tantos prédios na cidade, isso é um absurdo e me deixa triste”, desabafou o aposentado.

Estudo da Unesp e embargos
Após estudo realizado no local, o professor do Instituto de Geociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Rio Claro (SP) Roberto Braga concluiu que 50% da nascente que existia foram aterrados. De acordo com a pesquisa, no local, atualmente, há apenas um olho d´água. O professor recomendou a suspensão da obra e a devida recuperação da área degradada.

Em março, a obra chegou a ser embargada, após denúncias dos moradores. Entretanto, a Prefeitura entendeu que não havia nascente no local e permitiu a continuidade do serviço.

Placa errada
No mesmo mês, foi instalada uma placa da Prefeitura no local, que informava que a obra tinha autorização para movimentação de terra. Entretanto, após uma investigação do número da autorização inscrito na placa, assessores do vereador Paulo Camolesi (PV) constataram que a licença se referia a uma obra no bairro Paulista. Depois da denúncia do vereador, a placa foi retirada do local. O proprietário da construtora disse que houve “um erro de digitação por parte da Prefeitura”.

Do G1

Comente:

Compartilhe:

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Novos Vídeos