Apesar das mudanças que são previstas para os primeiros dias de junho, é importante lembrar a secura que enfrentamos durante o mês de maio. O mês de maio está terminando com chuva muito abaixo da média na cidade de São Paulo. Nos últimos dias, baixos índices de umidade relativa foram registrados por várias cidades do estado, inclusive na capital. O recomendado para a nossa saúde, segundo a Organização Mundial de Saúde, são valores acima 60%.

No entanto, nestes 31 dias de maio, em apenas duas tardes a umidade relativa do ar ficou acima do recomendado, ou seja, acima dos 60%. A tarde do dia 18 de maio estava liderando o ranking da tarde mais seca até agora. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, a umidade relativa ficou em 23% na estação automática do Mirante de Santana. Mas hoje, último dia do mês, a umidade caiu para 23% também na medição das 15h.
Qualidade do ar

Na tarde do último sábado, 30 de maio, 2 estações da CETESB na cidade de São Paulo registraram qualidade do ar ruim, 14 estações com qualidade moderada e apenas 2 com a qualidade boa. Na maioria das estações com a qualidade do ar moderada ou ruim, a piora na qualidade do ar foi por causa do excesso de material particulado fino(MP2,5), que é mais prejudicial à saúde humana. Por ser muito fino, o MP2,5 chega com mais facilidade aos alvéolos, que é a parte mais delicada do pulmão.

Entenda mais

Para entender um pouco mais e saber como de fato o ar seco pode prejudicar a nossa saúde, a meteorologista Josélia Pegorim fez um podcast especial com a Dra. Letícia Kawano Dourado, que é pneumologista. A doutora explica um pouco mais sobre os alvéolos, que são como um "coração do nosso pulmão" e também fala mais sobre essa combinação de frio, ar seco e covid-19. Como respirar melhor neste período de pandemia?

Quando volta a chover?

A semana será marcada por mudanças no tempo em São Paulo. A chegada de uma nova frente fria vai ajudar a aliviar a secura no ar. Há expectativa de chuva e queda de temperatura nos próximos dias.

Na segunda-feira o tempo ainda fica firme na maioria das áreas, com predomínio de sol e temperaturas em elevação no decorrer do dia. Mas, por causa da aproximação de uma frente fria, ocorrem rajadas moderadas de vento, e à noite o céu começa a encher de nuvens.

No Vale do Ribeira e litoral sul, que são áreas próximas ao Paraná, a chuva já pode começar desde cedo na segunda-feira e o céu fica cheio de nuvens. Além disso, a temperatura já diminui. No oeste do estado, na região de Presidente Prudente, ainda faz sol, mas a chuva chega a partir da tarde.

Frente fria avança

A partir de terça-feira começam as mudanças mais significativas. A frente fria avança pelo estado e espalha áreas de instabilidade por todas as regiões. Não há expectativa para grandes tempestades, mas o dia será marcado por céu nublado e chuva frequente na maior parte do litoral, na Grande SP e Vale do Ribeira. A temperatura neste dia também vai cair bastante em relação aos últimos dias.

Muitas nuvens se espalham também sobre o interior paulista, e a previsão é de várias pancadas de chuva no centro, sul e oeste do estado. As cidades mais ao norte e noroeste e também o Vale do Ribeira, ainda devem ter um pouco mais de sol, com chuva a partir da tarde.

Fonte Climatempo

Mais Lidas