Colors: Blue Color

Uma porta redonda em um morro esconde um lugar mágico na Serra do Japi, em Jundiaí (SP). Ao abri-la, é possível entrar em um mundo de fantasias e se transportar para os cenários da Terra Média, de "O Senhor dos Anéis".

A pequena cabana, construída de forma totalmente artesanal, virou um local de aconchego para a família de Meriele e Getúlio de Sá. O casal decidiu reaproveitar os materiais encontrados na natureza e criar uma casa inspirada na toca de Bilbo Bolseiro, personagem das obras de J.R.R. Tolkien.

 Foram 10 meses de trabalho duro, até aos fins de semana. Getúlio conta que foi preciso somente uma coisa para começar: espontaneidade.

"Eu olhei para aquele morro e me deu vontade de cavar um buraco para construir uma casinha ali. Em um dia, eu acordei e pensei: 'quer saber, vou fazer'. E simplesmente fiz. Foi assim que tudo começou", conta.

 A construção foi tomando forma e moldando a si mesma, na medida em que o casal encontrava novos materiais e formas de trazer vida ao local. O tronco da árvore caída virou sofá, parte da porta e um móvel na cozinha. Com o tempo, até as plantas se "adaptaram" à pequena casa.

"O mais legal de tudo é que nós olhávamos para os materiais e tentávamos ver qual conversa eles traziam para a gente, o que poderiam virar. Nossa imagem era fazer um ninho com amor e, aos poucos, quase como mágica, a casa foi se revelando para nós", relembra Meriele.

 As lições dos filmes e dos livros que foram aplicadas durante a obra acabaram ficando e se tornaram parte importante da história da família.

"Nos filmes, os hobbits mostram o amor por todas as formas de vida. As plantas, as flores e também a boa comida. Eles descrevem com muito carinho e foi aí que achamos uma conexão. Tinha tudo a ver com a gente", afirma Meriele.

Uma em cada quatro mulheres acima de 16 anos afirma ter sofrido algum tipo de violência no último ano no Brasil, durante a pandemia de Covid, segundo pesquisa do Instituto Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e divulgada nesta segunda-feira (7).

Isso significa que cerca de 17 milhões de mulheres (24,4%) sofreram violência física, psicológica ou sexual no último ano. A porcentagem representa estabilidade em relação à última pesquisa, de 2019, quando 27,4% afirmaram ter sofrido alguma agressão.

No entanto, para Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, esse pequeno recuo deve ser analisado à luz de outros indicadores da pesquisa, como o lugar onde a violência ocorreu e quem foi o autor.

Maria Helena Rosa, de 54 anos, é a nova caloura do curso de biologia noturno da Unesp em Bauru. Depois de 4 anos da sua decisão de voltar a estudar, a faxineira conseguiu alcançar o seu maior sonho: uma vaga na universidade pública e se tornar bióloga.

A estudante conta que conferiu a lista de aprovados do vestibular 2021 da universidade, divulgada no dia 27 de maio, durante seu expediente na limpeza do Departamento de Química da universidade. Maria chegou até a mostrar a lista para um professor, porque não acreditava.

“No dia 27 eu abri o celular para verificar a lista com medo e uma sensação triste, pensei: ‘ai, meu Deus. Será que eu vou dar esse orgulho para os meus filhos? Se não foi [desta vez], eu vou tentar de novo.’"

O esqueleto de uma baleia foi encontrado na praia da Barra do Una em Peruíbe, no litoral de São Paulo, neste fim de semana. A ossada, com cerca de quatro metros de comprimento, pode ser de uma espécie do tipo baleia-de-bryde enterrada na mesma região há 12 anos, segundo biólogo ouvido pelo G1.

A praia onde o esqueleto foi encontrado fica a 24,7 quilômetros de distância do Centro da cidade. A carcaça foi avistada por moradores da região, que compartilharam as imagens nas redes sociais. Um deles, o pescador Marcelo Rodrigues, de 46 anos, contou ao G1 que estava passeando pelo local quando viu o esqueleto na faixa de areia.

"Passo por ali quase todos os dias, mas naquele dia me deparei com aquilo tudo. Corri para casa, que fica perto, para buscar o celular e tirar fotos", disse. Segundo o pescador, a estrutura óssea encontrada mede, aproximadamente, quatro metros de comprimento.

O governo do Maranhão confirmou nesta quinta-feira (20) seis casos da cepa indiana da Covid-19, B.1.617, no estado. Os primeiro casos da variante no Brasil foram detectados em tripulantes do navio MV Shandong da Zhi, que saiu da Malásia e chegou ao litoral maranhense em 14 de maio.

Um dos infectados foi internado em um hospital particular da capital, São Luís. Os outros estão isolados dentro do navio, em alto mar, a cerca de cerca de 35 quilômetros da costa. Dois deles retornaram à embarcação depois de serem medicados em hospital.
Pelo menos 100 pessoas que tiveram contato com os estrangeiros infectados estão sendo monitoradas pelo governo local.

Veja abaixo respostas para as seguintes perguntas sobre a chegada da cepa ao país:

Quantos casos da cepa indiana foram confirmados até agora?
Qual o estado de saúde do paciente internado?
O que vai acontecer com as 100 pessoas que tiveram contato com o indiano?
Quantos tripulantes tinha o navio e quantos apresentaram sintomas?
De onde veio o navio?
Como fica a situação do navio a partir de agora?
O que diz a OMS sobre a cepa indiana?
Quais os riscos dessa nova variante?

1. Quantos casos da cepa indiana foram confirmados até agora?
Seis casos, sendo que cinco dos infectados estão em quarentena dentro do navio. Um deles está internado em São Luís. A confirmação foi feita pela Fundação Evandro Chagas, ligada ao Ministério da Saúde. Nenhum desses pacientes deixou o Maranhão.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, são alvos de uma operação, nesta quarta-feira (19), que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

A operação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que também determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Salles, o afastamento preventivo de Bim do comando do Ibama e o de outros nove agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança nos órgãos.

Na manhã desta quarta-feira (19), o ex-superintendente da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, fez publicações em seu perfil no Twitter, compartilhando reportagens sobre operação da Polícia Federal que investiga exportação ilegal de madeira que mira Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente.

Em abril, Alexandre Saraiva, então superintendente da Polícia Federal no Amazonas, enviou ao Supremo Tribunal Federal uma notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o senador Telmário Mota (Pros-RR). No dia seguinte, Saraiva foi afastado do cargo.

O papa Francisco emitiu hoje um "motu proprio" (documento pontifício) em que submete bispos e cardeais à Justiça ordinária do Vaticano em eventuais julgamentos, que até agora eram da competência do Tribunal Supremo.

O texto modifica a competência dos órgãos jurídicos do Estado do Vaticano, com o objetivo de "igualdade" no momento de se "fazer justiça", tal como o papa tinha anunciado na abertura do Ano Judicial.

"A exigência prioritária é a de que, por meio de mudanças normativas oportunas do sistema processual vigente, emerja a igualdade de todos os membros da Igreja e a sua igual dignidade e posição, sem privilégios que remontam no tempo e que já não estão consoantes com as responsabilidade de cada um na aedificatio Ecclesiae (contrução da Igreja)", defendeu o papa.

Um cachorro acompanhou o velório da tutora dele, que morreu após um infarto, na cidade de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. O animal, chamado de 'Toy' e que estava com Luzinete Lopes Diniz desde que era filhote, chamou a atenção dos presentes, pois chorava bastante e não saía do local.

O velório de Luzinete Lopes Diniz aconteceu na casa onde ela morava, no bairro do Mangueiral, na quarta-feira (28), horas após ela ter um infarto. O momento foi de despedida para a família e para o cachorrinho 'Toy', que no início do funeral não deixava ninguém se aproximar do caixão.

O estado de São Paulo registrou neste domingo (25) uma redução de 26,9% no número de internações por Covid-19 em comparação ao mês anterior. Os dados, da secretaria estadual de Saúde, apontam que hoje há 22.319 pacientes internados, sendo 10.556 em unidades de terapia intensiva (UTI) e 11.763 em enfermarias.

Em 25 de março, havia 30.549 hospitalizados, o que representava 8.230 a mais do que os números atuais. A maior redução se concentra nos pacientes em leitos clínicos: eram 17.875 um mês atrás. Em UTI, havia 12.674 internados.

Taiwan tem sido amplamente elogiada por sua gestão da pandemia, com uma das taxas de covid-19 per capita mais baixas do mundo. A vida na ilha, em grande parte, voltou ao normal.

Apenas 11 pessoas morreram de covid-19 lá desde o início da pandemia, um feito impressionante para um país que nunca decretou lockdown.

No início da pandemia, Taiwan era considerado um país de alto risco para covid-19 devido à sua proximidade com a China e às viagens frequentes entre os dois países.

Com histórico de casos de SARS em 2003, que muitos dizem que não foi muito bem administrada na época, o governo taiwanês desta vez agiu rapidamente para fechar suas fronteiras.