A fumaça das queimadas na Amazônia e no Pantanal já se estende por mais de 3 mil quilômetros do território do país. A trajetória da fumaça aparece em imagem de satélite divulgada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) nesta quinta-feira (10).

A floresta amazônica teve 12.412 focos de calor detectados pelo Inpe em setembro (entre os dias 1º e 9). Em menos de 10 dias, o número passa da metade do que foi registrado no mês inteiro do ano passado: 19.925. A média para esse período do ano é de 32.812 pontos de queimadas e, se continuar no mesmo ritmo, o bioma deverá ultrapassar mais uma vez neste ano.

O Pantanal já perdeu mais de 10% do território para o fogo neste ano, uma alta anual acumulada de 223% entre janeiro até esta quarta-feira (9), em comparação com o mesmo período de 2019. Em setembro, o bioma tem mais focos de queimadas em 9 dias do que a média histórica total para o mês: foram detectados 2.414 pontos de calor, sendo que o valor médio histórico é de 1.944 para os 30 dias.

Assim, a fumaça está se deslocando para os países vizinhos e se espalha para o Sul do Brasil. Os ventos empurram as nuvens também para o Sudeste. O laboratório Lasa, da UFRJ, diz que são mais de 3 mil quilômetros de gases tóxicos e partículas lançadas na atmosfera.

G1

Mais Lidas