alaga

Um motociclista foi resgatado do alagamento na Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, a Via Expressa, uma das mais afetadas pela chuva que atingiu Araraquara na tarde de quinta-feira (18). O homem ficou agarrado ao pilar de um viaduto por cerca de 20 minutos. "Pensei: 'Vou morrer'", contou o motoboy, que não sabe nadar. 

O motociclista Daniel Carlos Gameiro, de 30 anos, disse  que fazia entregas em um condomínio próximo ao Centro e, quando estava indo embora, a chuva começou. Ele decidiu passar quando a altura da água já chegava a um metro, mas o motor falhou e a moto desligou.

Gameiro subiu na moto e foi arrastado, mas conseguiu se agarrar ao pilar de uma ponte, onde ficou por cerca de 20 minutos.
“A água já tinha subido mais de dois metros. Quando atingiu a minha boca, eu pensei: ‘Vou morrer’. Comecei a ver os veículos sendo levados. Meu medo era que a moto saísse do poste em que eu estava escorado, porque aí com certeza eu morreria”, contou.

Resgate
Enquanto Gameiro esperava, funcionários de um restaurante próximo viram a situação e se mobilizaram para ajudá-lo.
“Eu via que ninguém conseguia me salvar, até eles aparecerem. Pegaram uma mangueira, jogaram para mim e conseguiram me salvar. Nessa hora, só agradeci a Deus e àquelas pessoas que nem me conheciam. Se não fosse por elas, eu não estaria mais aqui. Depois que eu estava no chão pensei na minha família e no meu filho, decidi que não vou arriscar nunca mais”, relatou o motoboy.

Além da moto de R$ 3,5 mil, a água ainda arrastou o capacete, documentos, dinheiro e o celular do motociclista. Ele não precisou de atendimento médico e passa bem.

Outros alagamentos
Também foram registrados alagamentos no balão da Avenida Sete de Setembro e no pontilhão da Alameda Paulista. Na Avenida Bento de Abreu, um carrinho de lanches tombou com a força do vento.

"Foi por volta das 16h30, foram 30 minutos de chuva intensa e acima de 30 milímetros para poder causar todo esse transtorno. Bombeiros, Defesa Civil, Prefeitura e guardas municipais rapidamente tomaram conta da situação, desviando o trânsito para que não tivéssemos vítimas", disse o coordenador da Defesa Civil, Edson Alves.

Ainda segundo Alves, diversas árvores caíram e surgiram buracos. "Rompeu parte da massa asfáltica de uma das faixas da Via Expressa. Caíram árvores na área central, Santa Angelina, Maria Luiza, Botânico", explicou. (G1)

Mais Lidas