Igreja deseja reutilizar o local, que atualmente está sob responsabilidade da Prefeitura, depredado e abandonado

borbore

Por: Gustavo Teixeira - Jornalista Profissional/colaboração RNA Diretoria do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, da comunidade católica borboremense, está há mais de um ano e quatro meses tentando fazer com que a Prefeitura Municipal ceda a manutenção e uso do Coreto “José Commandini” (Ao lado do Santuário) à gestão da Igreja. Isso porque há mais de 6 anos o local não recebe a devida atenção do Poder Público, estando em completo estado de abandono e sendo usado para consumo e tráfico de drogas.

Segundo conta o jornalista José Commandini Neto, morador do bairro e neto do borboremense homenageado através do nome do coreto, ao Jornal A Tribuna, em janeiro de 2016 a Diretoria do Santuário teve a iniciativa de buscar a incorporação do coreto ao patrimônio do santuário. Para isso, entraram em contato com o vereador Benedito Aparecido Anselmo que, na época, intercedeu pela causa junto à Prefeitura.

Já em fevereiro de 2016 a questão foi apresentada na sessão da Câmara Municipal e foi aprovada por unanimidade. O então prefeito, Virgílio do Amaral Filho, respondeu favoravelmente e encaminhou o projeto para engenharia. Com toda turbulência política que a cidade passou naquele ano, o projeto travou no departamento de engenharia e não seguiu à frente.

Agora, mais de um ano depois, o assunto volta a entrar em discussão. O Vereador Claudemir Sereno, em sessão legislativa de fevereiro desse ano, pediu informações sobre o andamento do projeto e a Prefeitura informou que o mesmo voltou a fase de estudos, mas até o momento nada avançou.

A comunidade católica justifica seu interesse no espaço. “Os moradores e população não usam aqueles sanitários por medo e falta de condições. Durante os atos religiosos os fiéis utilizam o banheiro interno da igreja, causando um certo incomodo pois é necessário passar pelo altar para chegar ao banheiro. Atualmente o Coreto está sem iluminação, vidros e portas, sendo impossível sua utilização. Este ano comemoramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e essa inauguração seria um dos marcos desta data e dos 25 anos de inauguração do Santuário”, destacam. Além disso, o Coreto está construído em uma área que pertence à Mitra Diocesana de São Carlos.

Segundo a Diretoria do Santuário, a intenção é construir na parte superior do Coreto a “Sala de Milagres”, já que por falta de espaço ela é montada uma vez por ano em uma sala de catequese, sendo necessário a interrupção das aulas durante o período. Para a parte inferior o plano é transformá-la em salas de catequese, deixando também um sanitário para que os moradores, alunos da catequese e fiéis possam usar regularmente.

Segundo informações da Diretoria, o Prefeito Vladimir é favorável à concessão apenas da parte superior, o que, para a Igreja, não seria viável já que a parte inferior continuaria sob o cuidado precário da gestão pública e usada para atividades ilícitas.

 

Mais Lidas